Economia compartilhada: o que é e exemplos

5 lições do Uber para o seu negócio
21 de fevereiro de 2020

Economia compartilhada, o termo vem sendo usado com mais frequência nos últimos anos. Mas o que é economia compartilhada exatamente?

Nesse post nós vamos explicar o que é economia compartilhada, alguns exemplos e onde estão as oportunidades de negócio nessa área.

Vamos diretamente ao conceito de economia compartilhada: É um modelo de negócios, quando você usufrui de um benefício de um produto ou serviço sem necessariamente fazer uma compra ou quando um grupo de pessoas compartilha o benefício que um produto gera estamos falando de economia compartilhada.

O exemplo mais simples que trata da economia compartilhada é: você compra o furo na parede e não a furadeira.

Se nós pararmos para pensar, não tem nada de novo nisso né? As cooperativas já trabalham nesse modelo há tempos. Os cooperados compram um caminhão e utilizam sem existir um “dono”.

Então, o que mudou? A tecnologia entrou na jogada e teve um papel essencial em potencializar esse movimento!

Em todos os ramos, a tecnologia aproximou as pessoas, deixando os relacionamentos mais fáceis e rápidos potencializando o alcance das ofertas de troca ou empréstimo.

Mas não foi só “culpa” da tecnologia, outros fatores importantes culminaram para esse movimento…

As mudanças de mentalidade

Você já deve ter ouvido isso, mas as últimas gerações mudaram o gatilho do “ter” para o ” ter experiências”. Isso é um conceito bem nebuloso, mas os números mostram que, realmente, tem se gastado menos adquirindo coisas e mais experimentando serviços, produtos, viagens, etc.

Em um mundo cheio de estímulos, muitas vezes saturados, conseguir experimentar o maior número de possibilidades é um recurso importante para fugir da rotina. Como você consegue fazer isso sem ser milionário? Contratando serviços de locação e compartilhamento por tempo limitado (vulgo time sharing).

Além disso, estamos mais conectados do que nunca e também nunca estivemos tão sozinhos, a ânsia por se relacionar é um dos motores da economia compartilhada. Para compartilhar existe uma necessidade de se relacionar.

Quem já surfa essa onda? Hostels, que tiveram um aumento exponencial nos últimos anos, o AirBNB com o serviço de experiências guiadas e a startup “Tem açúcar?” um sistema de empréstimo de coisas dos vizinhos.

Recursos finitos (realmente finitos)

A economia compartilhada vem diretamente de encontro com a sustentabilidade e responsabilidade no uso dos recursos naturais.

Já deu pra perceber que o mundo não suporta mais a economia baseada em consumo. Mas a resposta que vem das empesas não é muito animadora… Produtos com ciclos cada vez menores e com melhorias apenas incrementais.

Estar na moda custa caro e muitas vezes o custo benefício não se justifica.

Quer alguns exemplos disso?

  • Iphones custando R$10.000 e apenas com uma câmera mais avançada…
  • Startups como a BlueZupque você pode alugar equipamentos.
  • Empresas de compartilhamento de veículos como a Zazcar.

 

Oportunidade de gerar renda

Uma das coisas mais interessantes da “revolução tecnológica” é a descentralização do lucro.

Um exemplo: antes as empresas de taxi detinham todo o lucro e pagavam salários aos taxistas. Hoje os próprios motoristas têm direito de escolher para quem vão trabalhar e quando vão trabalhar. Sim, existem as taxas dos aplicativos, mas são muito menores do que eram cobradas pelas pessoas que contratavam os motoristas.

Podemos dizer o mesmo da explosão dos aplicativos de entrega. Hoje até a pé você consegue trabalhar para algum aplicativo e gerar alguma renda.

As pessoas perceberam isso e começaram a aplicar na sua estrutura de coisas ociosas. Aqueles produtos que você comprou, usou e agora estão encostados em um canto.

Ciclo de vida acaba, mas pode continuar em outras mãos e você pode ter um “lucrinho” com isso.

Esse conceito se aplica a mais ampla gama de coisas:

  • Você pode dar carona indo para o trabalho usando o Uber.
  • Você pode alugar o seu apartamento quando for viajar com o
  • Você pode emprestar as suas roupas com o My open Closet.
  • Você pode passear com o cachorro do seu vizinho com o DogHero.

 

Existem dezenas de exemplos, mas não são só pessoas que perceberam isso. As empresas também notaram!

Os hotéis já possuem serviços de Day use, você não se hospeda, mas pode usar a estrutura do hotel, seja para fazer uma reunião, ou a academia, restaurante, etc.

Concluindo: o que é economia compartilhada?

Economia compartilhada, economia colaborativa, economia coletiva… seja lá como você quiser chamar. Ela está aí e vai mudar a relação que nós temos com as coisas.

Essa brincadeira de benefício vs posse é bem interessante e pode ser a chave para que nós possamos pensar mais no “coletivo” do que no nosso próprio umbigo.

Não é só um monte de bicicleta nas ruas, não é só um aplicativo de caronas É geração de renda, é relacionamento entre as pessoas, é a mudança da noção do “público” e coletivo. Nós esperamos que seja mais do que isso.

Não só do ponto de vista econômico, mas do ponto de vista humano, relacional.

Como eu disse, não existe economia compartilhada 2019 a locação já existia, os brechós já existiam, o que mudou foi a escala e quem mudou esse jogo foi a tecnologia.

Por: Welliton Oliveira

Fonte: Envolve